Um Solene Pedido

Tenho me queixado da falta de post do pteles e já admiti publicamente os meus sentidos desejos de o chacinar violentamente com uma combinação de ácidos e tacos de vários desportos. Porém, tenho pensado nas coisas e tenho sofrido algumas mudanças. Vou tentar relatar-vos as mais significativas e que possa contar, ou seja, que não ponham em causa o estado da segurança nacional… Eu fiz um “broath” e vou cumpri-lo…

Há relativamente pouco tempo, haviam passados escassos minutos desde a hora de “acordar” e eu dirigia-me para o sítio do costume (ou seja, a escola). Era algo cedo mas isso não parecia ter impedido o… “atalho” por onde eu costumo passar de estar desimpedido. Estava algo deserto, coisa invulgar em sítio como aquele, que costuma ser abundante em pessoas que pretendem gastar os “árduos” salários em bugigangas e coisas desinteressantes (como podem imaginar, não falo de livros de física). Todavia, iniciava eu uma jornada interessantíssima que consistia em: subir escadas rolantes. Tarefa difícil para um ancel como eu, mas tendo a safar-me benzito. Qual não foi o meu espanto quando observo um pequeno pupilo, de idade extremamente tenra, que me devolvia o seu olhar curioso. Contemplei a sua pequena e engraçada face enquanto me aproximava dele. Esbocei um sorriso pequeno. Ah… a vida era bela.

Como é costume, subestimei o momento. Não tardei em observar o terror a iluminar-se na pobre cara do pequeno rapaz. Olhou para mim uma segunda vez e não contendo o seu temor inóspito quanto a mim iniciou uma fuga para perto da sua progenitora, pessoa na qual escondeu o rosto e agarrou-se fortemente.

Bom… sim eu sei… não sou propriamente atraente… a minha roupa roça levemente no nódoa… mas fogo… não sou assim tão feio!! Meto mesmo assim tanto medo? Serei eu uma renegada criatura afastada das brasas do inferno?

Isto tudo para dizer uma coisa muito simples… aprendi a olhar para mim também. Sim o pteles não tem escrito bastante e tem perdido bastante massa cerebral, mas e eu? Eu apercebo-me que também eu próprio falhei… Em que medida? Na medida em que não tenho batido no nódoa o suficiente para justificar um post do pteles. Gostaria de pedir desculpa a todos os nossos ávidos leitores: Prometo daqui em diante, agredir o nódoa. Obrigado pela consideração.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s